quarta-feira, abril 18, 2007

Ministro do Interior, José Pacheco, contrariado pelo digníssimo Procurador - Geral da República

O Ministro do Interior, José Pacheco, disse no dia 17 de Abril 2007 ,em entrevista à STV, que as supostas execuções ocorridas no bairro Costa do Sol, em Maputo, não foram praticadas pela PRM( Polícia da República de Moçambique), pois, nenhum polícia é formado para o efeito.( Vide o "Post" de 17 de Abril de 2007, aqui no " Quotidiano de Mocambique"). Todavia, o digníssimo Procurador Geral da República, Dr. Joaquim Madeira disse, na manhã de hoje, no Parlamento, que havia casos, que até foram julgados, de execuções sumárias perpetradas pelos agentes da lei e ordem em Manica, centro de Moçambique. Para dizer que, a despeito da formação oferecida aos polícias, estes cometem actos criminais bárbaros. Isto contraria inequivocamente o pronunciamento do Ministro Pacheco. O "Quotidiano de Mocambique" aconselha o Ministro do Interior a ser cauteloso quando instado a comentar determinados assuntos ligados a vida do seu Ministério para evitar estas " falas sem consequências" que estamos a testemunhar nos últimos dias.

3 comentários:

ninozaza disse...

O nosso Governo parece estar mergulhado numa confusão de imensas falas sem consequências. Facto mais relevante é que as falas sem consequências começam desde o próprio PR até os níveis inferiores da hierárquia governamental.
O próprio discurso do PGR é uma fala sem consequência ele em suma afirma que o crime ganhou fazendo lamentações ao dizer que alguns magistrados estão a ser vigiados e que não pode fazer porque esta com medo. a pergunta que lanço é se o PGR revela medo o que será de mim pacato cidadão. Nesta mesma onda o comando da PRM desmantelou a brigada MAMBA, porque os bandidos sabem mais deles, que eles sobre os bandidos, então é preciso preservar a vida integridade dos ex-membros desta brigada. Portanto agora é cada um por si porque a este andar o resto da polícia é capaz de também ser desmantelado e o ministro do pelouro continua nas suas fals sem consequências coadjuvado pelo PGR.
Em suma o crime ganhou e recompensa em Moçambique.

ilídio macia disse...

Excelente comentário! Obrigado.

ESM disse...

ninozaza, gosto do seu sentido de humor. gostei daquela de o tribunal administrativo processar o ministro da defesa. ainda estou a rir. acho que tem razão na análise que faz agora aos desabafos do pgr. bem feito!