segunda-feira, fevereiro 26, 2007

MC ROGER - UM CASO POR DIAGNOSTICAR

O músico moçambicano MC ROGER, concedeu uma entrevista ao semanário "Domingo", edição de 25 Fevereiro de 2007. Nesta entrevista, Mc aborda aspectos bastante interessantes acerca da sua vida como artista. Todavia pecou gravemente num assunto. O MC afirma categoricamente que todo aquele empresário ou empresa que não se alia a si para efeitos de publicidade, é porque não tem visão de marketing. Na verdade, este pronunciamento é bastante grave, sobretudo quando vem dum músico com um nº aceitável de admiradores na nossa praça. Quero acreditar que ele se tenha pronunciado nos termos aqui citados apenas por distração ou mesmo para distrair. Quero acreditar que não é o que ele realmente pretendia dizer. Mas se estiver errado na minha leitura, então o Mc Roger precisa de aprender a falar, sobretudo quando se trata de falar para um jornal do nível do "Domingo". Por outro lado, Ele precisa de ver entrevistas concedidas por artistas de renome internacional, tais são os casos de George Benson, Lionel Richie, Elton Jhon, Tina Turner,etc. Terá a oportunidade de ver como é que estes se dirigem aos seus fans.
Na verdade, creio que a MOZAL, por exemplo, não precisa de MC ROGER para o seu sector de marketing. Ora pretenderá MC dizer que se a MOZAL não se alia à sua imagem significa que aquela gigante empresa não tem visão de marketing?? Pretenderá dizer que as únicas empresas com visão de marketing são a Mcel, LAM e ONE CEL, em virtude de estas empresas terem solicitado a sua imagem para efeitos publicitários??Não haveá aqui alguns pontinhos de arrogância por parte do MC? Espero que ele se arrependa pelo que disse e peça desculpas ( i ) aos fans ( ii ) aos leitores do "domingo" e ( iii ) às empresas que ele atinge com o seu pronunciamento.

RESPEITO, SIM! ARROGÂNCIA, NÃO!


Até breve!

1 comentário:

Baltazar Jorge disse...

O Mc não é e numca foi modesto. Contudo, consegue ter alguma aceitacão no mercado porque é ligeiramente mais agressivo (em matéria de mercado)com relacão aos outros artistas do campo musical. Agora, para além da falta de modestia que lhe é peculiar, existe também da parte dele alguma falta do berço académico e de mais familiarizacão com aspectos ligados a compostura e boas maneiras. Ora, ele busca inspiracão em músicos do hip-hop americano, que não são um exemplo acabado de boas maneiras. Concordo quando o articulista dá exemplos de boas maneiras de músicos como George Benson e outros. Só que por favor, esses são de outra craveira e outro quilate. Mc jamais tocar-lhes-á até nos calcanhares. Portanto, há coisas que mesmo ensinando a um tosco mil vezes ele não aprende(para bom entendedor meia palavra basta). Não vamos ensinar agora ao MC boas práticas, se ele não procura e nem quer investigar o que isso representa.

Um abraco ao MC e forca para continuar o seu trabalho. Mas, atencão, com humildade que esta no caso dele recomenda-se vivamente.

Até um dia compatriota.

Baltazar Fael